CAMPEÃO DO SÉCULO #3 – Dérbi mostra: está tudo errado no futebol

Texto: Fellipe Sartori

O Dérbi nesse domingo (05) tinha tudo para ser uma belíssima partida. E foi. Não foi, porém, um belíssimo evento.

Começo pelo tempo pré-jogo. Palmeiras e Corinthians fizeram uma campanha muito legal com os personagens Cebolinha e Cascão, ambos da Turma da Mônica, enfatizando a importância de se manter a paz no meio futebolístico. Torcedores das duas equipes reprovaram a ação e criticaram o ambiente pacífico. Basta uma rápida pesquisa em qualquer rede social para comprovar. Se vêem como inimigos.

Durante o jogo, duas coisas me incomodaram demais: o anti-jogo do Corinthians após os gols e erros da arbitragem. O primeiro se caracterizou por jogadas faltosas, ceras e reclamações (que não foram coibidas, diga-se), enquanto o segundo já é parte do futebol brasileiro nos últimos anos. Anderson Daronco validou um gol irregular, marcou um pênalti inexistente e ignorou a regra ao não aplicar o cartão amarelo para o volante Gabriel (seria o segundo dele) por entrar no campo de jogo sem autorização. Uma verdadeira baderna.

O pós-jogo continuou decepcionando.

Além de Palmeiras (que já tinha perdido pontos na partida anterior por fatores externos) e Corinthians (que, até ontem, se sentia prejudicado) não se pronunciarem oficialmente, outro fato me incomodou: membros da imprensa esportiva até concordaram com a péssima arbitragem, mas exaltaram a má partida do Palmeiras. Realmente não foi a melhor atuação da equipe, mas uma coisa tem que ficar muito clara: as duas situações foram verdadeiras. A atuação do Palmeiras não exime os erros críticos de Daronco. Os fatos aconteceram e se somaram e, portanto, têm de ser considerados. É ridículo ponderar um citando o outro. Ridículo. E não pode, em hipótese alguma, vir de um profissional da imprensa que, teoricamente, é especialista em futebol.

A própria torcida do Palmeiras, porém, não ajudou. Após a derrota (que, lembra-se, poderia ser até vitória se não houvessem tamanhos erros do trio de arbitragem), criticou diversos jogadores e pediu a saída deles nas redes sociais. Não me espantaria se a torcida organizada pressionasse a diretoria, engrossando o coro. De fato, alguns jogadores estão mal, mas criticar agora é pedir uma crise no final do turno completamente desnecessária.

Perguntem à comissão de arbitragem, à globo, à CBF e à imprensa se estão pressionadas. Depois, perguntem ao Deyverson se ele está pressionado.

É nítido: está tudo errado! E, para completar, gastamos nossas forças com quem não tem poder de mudar NADA.

 

*NOTA: Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras, disse que vai mandar reclamação formal à CBF. Me pergunto quantas vezes isso fez alguma diferença.

%d blogueiros gostam disto: