Dugout – O algo a mais levou a World Series

(Foto: MLB.com)

O Houston Astros conquistaram o seu primeiro título de World Series numa batalha de sete jogos contra o Los Angeles Dodgers. Mesmo jogando a finalíssima fora de casa, a equipe fez uma partida quase perfeita na noite de quarta-feira e acabou fechando a partida em 5-1. Curiosamente, a maior diferença de corridas anotadas em toda a série. Mas o que me chamou atenção na série e principalmente no último jogo, foi o algo a mais que fez com que os Astros atingissem o topo do mundo.

Antes do início das finais, os Dodgers estavam em uma posição mais cômoda, por fechar rapidamente a série final da Liga Nacional e ter tido mais tempo de descanso. Além disso, o seu bullpen vinha jogando muito bem nos playoffs, o que poderia ser um fator crucial para uma final com dois ataques tão potentes como os de LA e Houston. Os Astros se arrastaram em uma série desgastante contra os Yankees, decidida apenas no jogo 7.  Chegou a final com um ataque espetacular, mas com dúvidas no corpo de arremessadores, principalmente com o seu bullpen oscilante e, aparentemente, sem confiança do manager A.J Hinch.

Vieram os jogos e os temores se fortaleceram. Ken Giles foi horrível como closer. Will Harris não foi nada bem, assim como Collin McHugh. Enfim, com exceção do monstro Justin Verlander e Dallas Keuchel, ninguém era confiável no montinho. Entretanto, o ataque foi espetacular. Altuve, Correa, Springer, Gurriel… todos foram sensacionais. Deram tudo e um pouco mais e muitas vezes salvaram o desempenho terrível dos seus arremessadores. Já em LA, a decepção ficou por conta justamente do bullpen, bem como a atuação de Yu Darvish que arremessou o jogo 3 e o 7 como titular e teve atuações desastrosas.

Com situações tão parecidas, a série se arrastou até o último jogo com uma chuva de rebatidas e de homeruns, tanto que bateu o recorde de bolas para fora do campo na história das finais. No jogo 7, as equipes precisariam de um algo a mais para conseguir o título. E justamente nesse momento, o bullpen de Houston finalmente apareceu. Ainda que tenha sido com uma vantagem de muitas corridas, os Astros tiveram talvez o melhor jogo do seus arremessadores, que seguraram o ataque dos Dodgers em apenas uma corrida. Para Los Angeles, a perda de oportunidades com as bases cheias nos primeiros innings foi determinante para a derrota. As entradas se sucederam e as corridas não chegavam, o que claramente desanimou os jogadores, que sentiram o título escapando dentro de casa.

No final, o título dos Astros foi muito merecido, até por todo o drama vivido pela cidade de Houston com a passagem do furacão Harvey. Com jovens talentos no ataque e dois bons arremessadores titulares (Keuchel e Verlander), a equipe terá trabalho para reforçar o seu bullpen para voltar ainda mais forte em 2018.

%d blogueiros gostam disto: