HOSPÍCIO #119 – Corinthians de técnicos

Corinthians heptacampeão brasileiro em 2017. Festa da Fiel. Merecido. E mais merecido ainda por um personagem em especial: Fábio Carille. Técnico interino até o final do ano passado, chegou sendo muitíssimo desacredito. Jornalistas que se dizem de respeito disseram que ele não duraria até o final do Paulistão, outro disse até que Carille seria demitido em 3 dias. Mas, sem mágoas. Carille provou o que era. O futebol sempre dá espaço para heróis para o esporte, e o nosso herói em 2017 é o nosso técnico. E não é a primeira vez, apesar de nem sempre acontecer.

Aprendiz de Tite e de Mano Menezes, Carille está há 9 anos no Corinthians. 8 anos como auxiliar, 8 anos de aprendizado. O seu principal mentor, Tite, maior nome da história do Timão, também foi herói em 2011 e 2015. Apesar das estrelas conquistadas, o Corinthians não tinha elas dentro de campo. Era um time comum, que foi evoluindo ao longo do ano. Principalmente em 2011. Não é loucura dizer que se não fosse o Tite, o Corinthians não teria conquistado os títulos de 2011 e 2015. Talvez, quem sabe, nem o de 2017.

O Corinthians mudou em vem mudando muito depois de 2007. Tivemos diversos jogadores que se destacaram nos títulos de 90, 98, 99 e 2005. Quem não lembra de Neto, Marcelinho Carioca, Dinei, Carlitos Tevez? Isso também mudou no Corinthians. Os ídolos maiores da torcida nos últimos 10 anos são técnicos, e Carille entra para esse rol, com possibilidade de ganhar cada vez mais importância histórica.

E que siga sendo assim. O Corinthians não precisa e nunca precisou de estrelas. Que a nossa estrela esteja no banco, comandando a equipe. E que o Corinthians seja cada vez mais e mais campeão, calando a boca de muitos. Vai Corinthians.

 

Thiago Cunha Martins

Paulistano, alvinegro, co-fundador e Diretor-geral do HTE Sports. Jornalismo por paixão, Psicologia por vocação. Adorador do futebol e tudo o que o rodeia. Fã curioso da NFL, UFC e eventual seguidor de outros esportes

%d blogueiros gostam disto: