SANTÁSTICO #35 – Balanço 2017, um ano em branco

Fala nação;

Todo início de ano é a mesma coisa, os torcedores voltam à estaca zero depositam todas as suas esperanças em seus times. Algumas caras novas, promessas se refazendo e por aí vai… no Santos não foi diferente. Após a classificação para a Libertadores, o motivo principal do entusiasmo dos torcedores, parecia que poderíamos viver coisas novas neste ano. Poderíamos.

Começamos com o Campeonato Paulista. Logo de cara, uma eliminação precoce nas quartas de final, pela Ponte Preta – time posteriormente rebaixado no Campeonato Brasileiro.  Atuações que não empolgaram e o time conseguiu a liderança do grupo por critério desempate após somar 4 derrotas na primeira fase da competição, entre elas, a marcante derrota para o São Paulo em plena Vila Belmiro, o que pelo estadual não acontecia há 15 anos.

Na sequência vem a Copa do Brasil. Como o Santos estava disputando a Libertadores da América, entrou no campeonato nacional apenas nas oitavas de final. Apesar de não durar muito na competição, essa foi a eliminação que menos doeu na torcida. O Santos deixou o campeonato após uma grande vitória sobre o Flamengo por 4 a 2. Dessa vez o grande adversário do time praiano foi o regulamento, mas nossos jogadores mostraram uma vontade que poucas vezes foi vista durante o ano.

Com toda vontade demonstrada na eliminação da Copa do Brasil, é claro que os torcedores começaram a acreditar ainda mais no título da Libertadores, já que nessa altura era o que tínhamos de mais importante e merecia atenção total. O Santos não vinha mal na competição sul-americana, era inclusive o único time que permanecia invicto. Nas quartas de final, após o empate no Equador, a classificação era só questão de tempo, esperar o fim do jogo de volta. Doce ilusão. Um time da grandeza do Santos Futebol Clube entrou em campo pelo placar de 0 a 0. INADIMISSÍVEL! Se entrasse para ganhar, tanto na Vila como no Equador, teria saído com a classificação da maneira mais fácil possível. Resultado: eliminado pelo fraco Barcelona de Guayaquil, que diferente da nossa equipe demonstrou ao menos vontade, e isso sim pode ganhar os jogos.

No Campeonato Brasileiro um caso a ser estuado. Até quando o Santos vai brincar de jogar Brasileirão? O merecimento do Corinthians após o perfeito primeiro turno que fez é incontestável, mas será que o time santista não cansa de ser coadjuvante? Ano após ano e as coisas não mudam, o alvinegro da vila Belmiro sempre se complicando com os times da parte de baixo da tabela. Conseguiu até quebrar tabu ao perder pela primeira vez na história para o Sport dentro da Vila Belmiro – Sport que chega a última rodada com chances de rebaixamento. Fora a sequência de empates bizarros que era mascarado por uma enganadora “invencibilidade”. Se o Santos poderia ou não ganhar o campeonato é outra história, mas se ao menos levasse a sério poderia pressionar na briga pelo título e terminar o ano de uma maneira digna.

A impressão que temos de 2017 é que foi um ano em branco na gigante história do Santos Futebol Clube, nem digo que é para ser esquecido, porque na verdade  tem mais é que ser lembrada essa vagabundagem que vimos em campo, na esperança de aprender com ela e não permitir que volte a se repetir. Jogadores que não fazem questão de honrar essa camisa gloriosa, não precisam ficar por aqui. Temos uma das maiores camisas do futebol mundial e quem não consegue dar valor a isso por favor passar bem longe da Vila Belmiro.

O saldo positivo que tiramos é a excelente temporada do brilhante Vanderlei, injustiçado por suas não convocações. O crescimento do Alison que voltou mais maduro e se tornou um dos principais jogadores desse elenco, se todos atletas tivessem a vontade desse rapaz seria difícil jogar contra nós. A grande contratação de Bruno Henrique, uma das melhores contratações dos últimos tempos, os 14 milhões mais bem gastos por um atleta que não apenas se identificou com o clube mas também fez a diferença. Sem eles poderia ser ainda pior.

O ano ainda não acabou e agora cabe a nós, torcedores, não permitir que 2017 se repita em 2018/2019/2020. Dia 09 de dezembro teremos as eleições e podemos mudar o destino que está sendo escrito para o nosso amado clube. Precisamos de profissionais sérios e competentes para voltar a colocar o Santos no lugar onde merece. Ou você torcedor se contenta com esse momento que cheira a fracasso?

Danielle Devorane

Paulistana. Bacharel em Comunicação Social com enfase em Rádio e Televisão. Apaixonada por futebol e santista de coração.

%d blogueiros gostam disto: