VIVO ESSA PAIXÃO #13 – “Meu Botafogo não é lugar de covardes”

Depois das eliminações na Copa do Brasil e Libertadores o time “desistiu” de jogar, falta aquela entrega e dedicação do plantel. Não vemos mais aquele Botafogo “exterminador de campeões”, derrotando gigantes do continente com um elenco limitado mas com muita vontade de fazer história. Derrotas ridículas (principalmente em casa) vêm deixando o torcedor preocupado. Perdemos para Vitória, Fluminense, Atlético-PR e Atlético-GO nos últimos jogos como mandante.
Jogadores como Victor Luis e Guilherme pertencem a outros clubes, já demonstram o interesse em voltar e não vêm rendendo, profissionalismo zero. Gilson não funciona. muito menos de meia, Jair! Ainda querem renovar com Dudu Cearense, absurdo, jogador de série C. Fora Tanque! Fora Gilson!
Uma reformulação deve ser feita, começando por estes que citei. Queremos raça, dedicação e respeito por esse clube. Se não aguenta pede pra sair, aqui é BOTAAAFOOOGOOOOO, NÃO É LUGAR DE COVARDES. 

Por Marco Eduardo

Sobre imprensa e torcida: não somos culpados!

Você aí em São Paulo! Você aí numa redação qualquer que só enxerga vermelho e preto! Vocês não sabem nada de Botafogo, muito menos sobre o botafoguense.
Vocês não sabem o que é morar no eixo e ficar mais de 20 anos sem um título de expressão, não sabem o que é ser o eterno time do quase. Vocês não vivem o dia a dia como vivem nos outros clubes. Só escuto análises superficiais e comentários de 30 segundos numa mesa redonda de 3 horas!
Vocês não sabem o que é viver o Botafogo.

Gostaria de começar dizendo que ninguém aqui está deixando de reconhecer os acertos, a vontade e a luta do elenco e da comissão técnica na maior parte desse ano, porém clube grande é assim. Vamos cobrar, vamos vaiar, vamos cansar de ficar na retranca, com um setor ofensivo patético e jogadores a todo momento querendo se valorizar e cambar fora do clube. Chega de cenas como a do Bruno Silva no jogo contra o Atlético-GO, chega de jogadores usarem o alvinegro e o mesmo não fazer nada.

O que quero que entendam sobre essa temporada é que se os clubes com altos investimentos não renderam, e o futebol brasileiro está nivelado por baixo, por que somente o botafoguense não pode cobrar sua equipe, contestar seu treinador e questionar sua direção? Pensem por este ponto de vista. Não somos vira latas, nosso pedigree é glorioso. Somos iguais, somos grandes, sedentos por resultados mais do que qualquer outro torcedor no país.

Vocês transformam o torcedor que é vítima em culpado, mas torcida não entra em campo, muito menos ganha salário astronômico. Se o Tanque não domina uma bola fácil, a culpa não é minha. Se o Gilson ficou olhando o jogador adversário fazer o gol sozinho, a culpa não é do Sr. José, que sai lá da baixada pra pagar R$ 50,00 e ficar numa fila enorme, só entrando no intervalo. O sócio cresceu? Pra vocês os méritos são só da direção, não foi a torcida que, maltratada, tirou parte do seu salário pra acreditar no clube. Vocês nos atacam dizendo que não vamos ao estádio apoiar o time. Estamos cansados de ver baixíssimos públicos em jogos de outros grandes sendo ignorados. Mas o botafoguense é que é péssimo torcedor, não é mesmo? Será que somos seres humanos diferentes dos outros torcedores? Todos nós? Será que vocês podem lembrar que não temos a maior torcida desse país, e que, proporcionalmente, se o time vai mal, nosso estádio fica mais vazio assim como qualquer outro clube. Mas se é um Grêmio, um São Paulo, os “7 mil de sempre” desses clubes são 18 mil. Não somos coitadinhos.

O começo do ano foi heroico, sim, dentro das 4 linhas. De fora todos vibraram mas também viram que os sufocos vieram das carências do elenco. Ninguém aqui é cego ao ponto de não saber da situação financeira do clube. Ninguém aqui pediu Messi e Neymar para resolver os problemas do time, mas assistimos uma diretoria montar nesse discurso da falta de dinheiro, preocupando-se mais em se reeleger e perpetuar no poder do clube. Alguns torcedores comemoram boletos de dívidas pagos. Meus amigos, o Botafogo precisa de muito mais do que isso pra continuar a existir. Não vimos inquietação, não vimos mínima tentativa com nomes desconhecidos, o setor de inteligência(?) foi inoperante. Contratos com jovens da base mal feitos, jogadores saindo de graça de forma inexplicável, outras saídas que resultaram em abertura na folha de pagamento, passando em branco. Eu desafio qualquer torcedor de clube grande aturar Pimpão e Guilherme por seis meses no seu ataque sem mais nenhuma opção, nem mesmo garotos da base podendo substituí-los. Mentira, não desejo tal coisa, somos rivais, não inimigos.

Não achem que estão com plena razão, não pensem que estão analisando o Botafogo e seu torcedor de maneira correta e definitiva, vocês estão passando longe disso. Outro dia assisti a um comentarista analisando a reação de cada jogador do Clube de Regatas ali da Gávea enquanto a bola entrava em seu gol, denunciando falta de compromisso. Gostaria que vocês fizessem 10% dessa análise profunda no Botafogo um dia, em um lance. Respeitem a grandeza e a torcida do Botafogo, ela sabe o que fala na arquibancada.

Alvinegros, precisamos nos unir! A paciência de uns duram mais que a de outros, mas vamos ter consciência de que queremos o mesmo: Botafogo profissional e efetivo. Bola na rede, futebol digno e taças em General!

Estamos na reta final do campeonato, só os deuses do futebol sabem o que irá acontecer dentro de campo. Fora dele, só os mesmos de sempre, no domo de ferro de General Severiano, sabem o que pode acontecer nas eleições do clube. Nós aqui continuamos esperançosos, porém amando esse clube como nunca.

Gostaria que minha primeira postagem fosse num melhor momento. Sou Vicente Rodrigues, 27 anos, do Rio de Janeiro e tenho certeza que vamos compartilhar momentos bons por aqui em breve!
Até a próxima. Fé na estrela!

Por Vicente Rodrigues

AVALIAÇÃO INDIVIDUAL

GATITO: 5,0

Inseguro. Espalmou bola fácil no lance do segundo gol. Suas más atuações só aumentam o pedido da torcida pelo ídolo Jefferson.

ARNALDO: 5,0

Deixou de ser a válvula de escape pelo lado direito. Seus cruzamentos foram coisa de filme de terror. Apesar disso, se mostrou combativo no setor defensivo.

CARLI: 6,5

Não foi principal responsável pela pane defensiva nos dois lances de gol do adversário. Ajudou (como de costume) em jogadas pelo alto, tanto na frente quanto atrás. Se mostrou incomodado com o resultado ruim e por diversas vezes se lançou ao ataque em busca do empate.

IGOR RABELLO: 6,5

Bem nos desarmes, fez a partida “para cartoleiro ver”: poucas faltas e muitos desarmes.  Mesmo com fraco desempenho do time, tem se destacado. Garoto com muito potencial a ser explorado pelo alvinegro. Vida longa ao General!

GILSON: 4,5

Muita velocidade e disposição, pouca produtividade. O péssimo jogo de Guilherme pela esquerda atrapalhou seus avanços pela lateral. Já no setor defensivo, o óbvio ficou evidente no lance do segundo gol. Desatento e sem o menor cacoete de marcador, deixou livre o atacante adversário.

RODRIGO LINDOSO: 5,0

Nulo. Nem para o mal, nem para o bem. Organizou as saídas de bola do time, mas com muita lentidão, algo que já tem se tornado uma tendência.

JOÃO PAULO: 7,5

Mais um que se mostrou incomodado com resultado ruim. Guerreiro, organizou as subidas do time e arriscou finalizações de longa distância quando sem opção. Acertando inclusive um belo chute, empatando o confronto naquela situação. Por mais jogadores com o comprometimento e hombridade de João Pirlo, esse homão!

BRUNO SILVA: 2,0

Sua atitude deplorável ao ser substituído apenas fechou com “chave de lixo” sua desastrosa atuação. Displicente, zero vontade, fominha, errou tudo que tentou. A maneira com que se doava em campo era sua principal característica. Hoje é justamente o contrário, parece sem vontade de jogar. Ninguém está ali obrigado, se está incomodado ou com a cabeça em outro lugar, vaza! Esse clube mais do que pagar seus encargos tem todo uma história e milhões de fãs, aos quais você fez pouco caso. RESPEITO! Seu pedido de desculpas via rede social, escondido atrás de um celular ou computador, é pouco. Tem que vir cara a cara com a torcida, seja após um treino ou durante uma coletiva. O ser humano tem todo direito de errar e consertar seus equívocos, mas que seja de uma maneira sincera e honrosa.

MARCOS VINÍCIUS: 4,0

Nulo². Na única oportunidade em que buscou jogo, isolou uma boa chance de finalização.

GUILHERME: 2,0

Garoto parece não estar sabendo administrar a situação de ser pretendido por um clube e atuar por outro. Desde que o Grêmio demonstrou interesse em sua volta parou de jogar. Ontem não acertou nada, chutava para se desfazer da bola. Ah! Só para não deixar passar batido: TOCA A BOLA, GUILHERME!

BRENNER: 6,0

Vinha tendo uma participação razoável, não entendi o motivo da sua saída (principalmente pelo fato de quem entrou no seu lugar). Fez bem o pivô em jogada desperdiçada pelo Arnaldo. Correu, se entregou. Merecia mais tempo em campo.

LÉO VALENCIA: 6,5

A torcida pediu e… dessa vez o Jair ouviu. Não é o Marcelo D2, mas quando entrou fez fumaça. Seus cruzamentos sempre venenosos incomodaram a defesa do Atlético. Deu passe açucarado para o Tanque desperdiçar (quase pleonasmo). E, já no final, quase marcou de falta. O que se espera é que Jair ouça a torcida e coloque o chileno para jogo. MV não está dando mais…

RODRIGO PIMPÃO: 5,5
Em pouco acrescentou. Entrou com a entrega de sempre, mas esbarra na falta de qualidade e técnica para chamar a responsabilidade e mudar o panorama de uma partida.

VINÍCIUS TANQUE: 3,0

Piada de mau gosto com a torcida. Não conheço o jogador pessoalmente, mas com toda certeza deve algum outro talento, todos nós temos algum. Mas jogar futebol em alto nível parece não ser a do garoto. Pode (e até espero que isso aconteça) queimar minha língua, mas pelo que demonstrou nesses 4 anos como profissional me dão um certa embasamento na crítica que faço.

JAIR VENTURA: 2,0

Já passou da hora de admitir que suas “convicções” não têm dado certo. Muito pelo contrário, tem levado o Botafogo a jogos pífios. Continuo confiando e sendo admirador do seu trabalho, mas parece ter perdido a mão durante essa fase conturbada vivida pelo clube. Da diretoria aos jogadores. Algo que não imaginava está acontecendo e espero que se resolva repentinamente, o processo eleitoral e a demora nas renovações tem bagunçado os bastidores. Espero que tudo se acerte e deixem o trabalho do profissional fluir naturalmente, como no começo da temporada.

Por Bernardo Claro
%d blogueiros gostam disto: