HTE Sobre Rodas #27 – Circuitos que fazem falta na Fórmula 1

(Foto: Reprodução / f1fanatic.co.uk)

Muitos circuitos fizeram história na Fórmula 1, mas por uma série de motivos não seguem no calendário da categoria. Nesse HTE Sobre Rodas selecionamos algumas pistas que fazem falta na F1. Confira!

Circuito de Imola (GP de San Marino)

Um dos mais tradicionais circuitos que a Fórmula 1 já teve é certamente o de Ímola, na Itália. Os quase cinco quilômetros guardam inúmeras histórias, inclusive as tristes mortes de Ronald Ratzenberger e de Ayrton Senna em 1994. Entrou no calendário da F1 em 1980 (como GP da Itália, a partir de 1981 já virou GP de San Marino) e ficou até 2006. Michael Schumacher é o maior vencedor, terminando sete vezes no 1º lugar. Uma pista rápida, desafiadora e que não deveria estar de fora da categoria.

Circuito de Adelaide (Austrália)

(Foto: Reprodução / f1correspondent.wixsite.com/)

Em 1985, o GP da Austrália foi realizado no circuito de Adelaide, adorado pelos pilotos e pelos fãs da Fórmula 1. Marcada pelo equilibrado, os maiores vencedores são Senna, Prost e Berger, todos com dois triunfos. Acabou sendo “largado de mão” em 1996, quando Melbourne entrou com forte influência na categoria e levou a corrida local para o circuito de Albert Park.

Circuito de Kyalami (África do Sul)

Apesar de rodar por praticamente todo o mundo, a Fórmula 1 não contempla o continente africano. Temos corridas na Europa, na América do Sul, na América do Norte, na Ásia e na Oceania, mas a África é esquecida no calendário da principal categoria dos esportes a motor. Por isso, o circuito de Kyalami é relembrado aqui. Foi disputada uma corrida nessa pista pela última vez em 1993, com vitória de Alain Prost. De lá para cá, nunca mais a F1 passeou por solos africanos. Kyalami era uma pista bastante desafiadora, com curvas rápidas, algo que fez com que muitos pilotos, infelizmente, tivessem acidentes fatais. Duas curiosidades interessantes: nessa pista que Ayrton Senna conquistou seus primeiros pontos na Fórmula 1 e também foi lá onde Nelson Piquet confirmou o bicampeonato em 1983. Seria interessante revitalizar e levar de volta a F1, agora sob novo comando, até o continente africano.

Circuito de Magny-Cours (França)

(Foto: Reprodução / circuitmagnycours.com/)

Um dos países mais tradicionais da história da Fórmula 1, a França não era representada no calendário da categoria há dez anos. Em 2018, o circuito de Paul Ricard voltará a abrigar provas da F1, algo que não acontece por lá desde 1990. No entanto, quem entra na nossa lista é o circuito de Magny-Cours, onde ocorreram as mais recentes provas da Fórmula 1 na França. Em 2008, na última corrida lá disputada, o brasileiro Felipe Massa saiu vencedor. Michael Schumacher reina com oito triunfos. Geralmente as corridas em Magny-Cours eram muito disputadas, proporcionavam ultrapassagens e muita movimentação por parte dos pilotos. Infelizmente, nada disso foi valorizado.


Quais outras pistas você acha que fazem falta no calendário da Fórmula 1? Use o espaço dos comentários para deixar sua opinião!

Heider Mota

Baiano, 21 anos, estudante de jornalismo e amante dos esportes. Twitter: @heiderzito

%d blogueiros gostam disto: