O saldo de 2017 foi positivo para o futebol do nordeste?

(Foto: Guga Matos/ JC Imagem)

Chegamos ao término de mais uma temporada e novamente o futebol do Nordeste não almejou grandes conquistas. Pelo contrário, se olharmos de forma geral, o saldo é bem negativo. O não rebaixamento de Sport e Vitória, além do acesso do Ceará, fez com que no fim das contas uma marca inédita fosse alcançada: pela primeira vez na era dos pontos corridos teremos quatro nordestinos na Série A. Mas, além disso, o que mais? Analisei alguns pontos principais sobre o ano do futebol do Nordeste. Confira!

COPA DO NORDESTE

(Foto: Walmir Cirne/Coofiav/Gazeta Press)

Conquistada pelo Bahia, a competição nessa temporada foi muito legal. As médias de público do início de ano no futebol, como vem acontecendo nos últimos anos, foram alavancadas pelo maior campeonato do primeiro semestre a nível nacional. No entanto, a imagem que fica da Copa do Nordeste em 2017 é a desistência do Sport, que rompeu com a Liga do Nordeste e não disputará mais a competição. Outros fatores importantes são o término do contrato para transmissão na TV aberta com a Rede Globo e a implantação de uma Pré-Copa do Nordeste para 2018.

SÉRIE D

(Foto: Jonys Phb)

Dois clubes nordestinos subiram da Série D para a Série C. A Juazeirense, da Bahia e o Globo FC, do Rio Grande do Norte, fizeram bonito na competição e representarão a região na terceira divisão do futebol brasileiro na próxima temporada.

SÉRIE C

(Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas)

Tivemos os rebaixamentos de ASA e Moto Club, mas em compensação, três times do futebol do Nordeste subiram para a Série B. Sampaio Corrêa, Fortaleza e o campeão inédito CSA. A conquista do azulino deu ao futebol nordestino seu único título nacional na temporada. Parabéns!

LEIA TAMBÉM: O futebol do nordeste precisa mudar 

SÉRIE B

(Foto: Frankie Marcone/NOVO)

Se três clubes subiram da C para B, três clubes caíram da B para C. ABC, Náutico e Santa Cruz fizeram péssimas campanhas e foram rebaixados. Sem dúvidas, um ano tenebroso para o futebol pernambucano, marcado por um erro de arbitragem colossal na sua final estadual (mesmo com árbitro de vídeo), Sport quase rebaixado na primeira divisão e Santa e Náutico caindo para a terceira divisão. No entanto, vale destacar o Ceará, que subiu com a 3ª melhor campanha e colocando grandes públicos na Arena Castelão. Parabéns, Vôzão!

SÉRIE A

(Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória)

Tirando o Bahia, que teve uma campanha mais tranquila, principalmente após a chegada de Paulo Cézar Carpegiani, mas ainda assim não terminou na primeira página da tabela, o Nordeste sofreu na Série A até a última rodada. Sport e Vitória lutavam com Coritiba e Avaí por duas vagas. A manutenção na primeira divisão só aconteceu nos minutos finais das partidas.

LEIA TAMBÉM: Parar para refletir 

QUAIS AS LIÇÕES?

Cada vez mais a falta de planejamento vem sendo sentida pelos clubes. É inaceitável que EM TODOS OS ANOS tenhamos clubes do Nordeste brigando para não cair. É claro que a diferença de patrocínios, cotas de TV e outras questões de cunho financeiro pesam bastante, mas o futebol nordestino merece mais. 2017 foi o retrato de uma péssima temporada com raros momentos de felicidade. Que sirva de lição para que clubes e dirigentes acordem e percebam que já passou da hora de se profissionalizar e fazer os clubes chegarem onde as torcidas merecem.

Heider Mota

Baiano, 21 anos, estudante de jornalismo e amante dos esportes. Twitter: @heiderzito

%d blogueiros gostam disto: