QUEREMOS O MUNDO #2 – Grêmio calculista e imprevisível

A última impressão que o Grêmio mostrou, no jogo contra o Lanús na Argentina, foi a melhor possível. Grêmio avassalador e espetacular. Deu show. Dias depois de conquistar o Tri da Libertadores, veio a informação que o Arthur estava fora do Mundial de Clubes. Desfalque importante, já que Cícero e Cristian não poderiam ser inscritos no Mundial. O temor se confirmou. Arthur fez muita falta contra o Pachuca, embora a segura atuação de Michel.
O Grêmio não é um time previsível. O Pachuca, pelo o que jogou no primeiro tempo parece ter estudado o clube gaúcho. Mas o Tricolor tem recursos. Se a classificação não veio com show, igual a sua última partida contra o Lanús, veio na marra, na raça e na frieza. O Grêmio foi frio e calculista. Se aproveitou do cansaço do time mexicano tanto na parte final do tempo regulamentar, quanto na prorrogação. A vitória veio também na estrela de Renato Portaluppi. Sem dúvidas, suas modificações como Jael, Everton e Léo Moura, por exemplo, foram muito bem. Jael, por sua vez, merece um lugar entre os 11. Jogou mais que o Barrios e não é de hoje. Léo Moura fez seu papel com muita qualidade e naturalidade. Técnica e experiência. Everton cebolinha foi o medalhão de sempre. Autor do gol. o camisa 11 foi eficiente

Crédito foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

e deu uma nova cara ao tricolor. Sua vaga no time titular, no entanto, é remota.
O Grêmio está na final e aguarda o vencedor de Real Madrid x Al Jazira que jogam nesta quarta. Se de fato for o Real Madrid, o Grêmio entra como um franco atirador. Mas eu não duvidaria desse time. Não duvidaria da estrela de Renato. QUEREMOS O MUNDO !

%d blogueiros gostam disto: