A tradição lusitana ainda respira!

(Foto: Divulgação / Globoesporte.com)

Nos últimos anos temos acompanhado o triste declínio da Portuguesa de Desportos. Carinhosamente amada por parte dos brasileiros, o clube da capital paulista entra em 2018 sem nenhuma competição nacional para disputar. Ao contrário da equipe profissional, a base da Lusa tem sido destaque na Copa São Paulo de futebol Júnior, torneio que revela grandes promessas a cada ano.

A campanha da Portuguesa é de invejar a qualquer time. Na primeira fase, foram três jogos e três vitórias – contra América-MG, Remo e Teixeira de Freitas. Nas fases seguintes, a Lusinha eliminou o São Paulo-AP, América-MG e Goiás. Mesmo com o desgaste físico, tendo que disputar uma partida a cada 48 horas, a Portuguesa tem se mostrado sólida nos jogos, conseguindo controlar as equipes que enfrenta.

Dentre os destaques da Lusa podemos citar o goleiro Mateus – autor de grandes defesas e bom pegador de pênaltis -, o zagueiro Brunnetti, capitão e forte liderança da equipe, e o camisa 10, Thawan, que tem mostrado muita habilidade e categoria até aqui. Mesmo citando destaques pontuais, é possível ver um conjunto muito bom nas mãos do técnico Marcelo Zanardi.

LEIA TAMBÉM: A triste derrocada lusitana

Nas quartas de final, último jogo feito pela Lusa até então, viria o maior desafio desde o início da competição: o Palmeiras. Vindo do título da Copa do Brasil sub-17, a equipe alviverde demonstrava ser uma das fortes candidatas ao título, já que o seu rival Corinthians, atual campeão da Copinha, havia sido eliminado na mesma fase que ainda jogaria contra a Portuguesa. Além do forte favoritismo, o Palmeiras ainda contaria com sua torcida comparecendo em peso ao Pacaembu – palco escolhido para a disputa da partida.

Falando sobre o jogo, vimos uma partida equilibrada. Claro que o desgaste físico pesaria em algum momento para a Lusa, que sofreu em alguns momentos com os ataques da equipe palestrina. No tempo normal, a partida terminou em 1×1, e fomos para as penalidades. Mais uma prova de fogo para a Portuguesa, que havia enfrentando duas disputas por pênaltis nas fases anteriores da Copinha.

Como citei acima, o goleiro Mateus, bom pegador de pênaltis, apareceu mais uma vez, deixando os batedores do Palmeiras desequilibrados emocionalmente. Foram três penalidades perdidas pelo lado alviverde, com uma defesa na última cobrança feita por Yan. Vencendo por 3×2, a Portuguesa estava classificada às semifinais da Copa São Paulo!

Rafik Oliveira

Amante de várias modalidades esportivas, trago à tona diversos temas que abordam o cenário nacional, sempre com uma visão diferenciada para cada esporte.

%d blogueiros gostam disto: