Chegou a hora de aparecer a terceira força do estado da Bahia?

(Foto: Luciana Flores / Vitória da Conquista)

O futebol baiano vive uma longa espera por ter um terceiro time consolidado. Enquanto Bahia e Vitória polarizam e concentram as forças do estado, os menores times da capital e os outros inúmeros do interior buscam, de forma muito lenta, o espaço como 3ª força.

Botafogo de Salvador, Ypiranga, Galícia, Atlético de Alagoinhas, Catuense, Fluminense de Feira, Colo-Colo, Bahia de Feira, Vitória da Conquista e Juazeirense, não necessariamente nessa ordem, foram os times que tentaram, mas ainda é difícil afirmar que um deles é o terceiro time mais forte do estado.

A Juazeirense fez uma bela estreia empatando com o Vitória, no Barradão (Foto: Divulgação / Juazeirense)

Esse cenário, no entanto, pode finalmente mudar em 2018. O investimento foi um pouco mais alto em relação a anos anteriores e vemos equipes ousando para almejar algo mais do que apenas uma participação sem brilho no Campeonato Baiano. Temos, por exemplo, a Juazeirense, que no ano anterior conseguiu um inédito acesso a nível nacional. Ainda que sem nomes de brilho dentro do seu elenco, o Cancão de Fogo conseguiu um histórico resultado e, na estreia do estadual deste ano, empatou com o Vitória em 2×2, mostrando a quem ainda duvidava, que a sua força não diminuiu.

LEIA TAMBÉM: Como fazer futebol desse jeito?

A minha grande aposta, porém, fica a cargo do Vitória da Conquista. Vice-campeão em 2015, o Bode é um dos times mais arrumados do estado da Bahia. Para essa temporada, um grande investimento foi feito e uma nova filosofia adotada. Washington Coração Valente, ex-jogador de clubes como Fluminense, São Paulo e Atlético/PR, estreia sua carreira como treinador no alviverde. Junto com ele, nomes consagrados do futebol brasileiro como o volante Alan Bahia, ex-Atlético/PR, e também mais folclóricos como Flávio Caça-Rato, ex- Santa Cruz, ditam o tom das apostas feitas pela diretoria do clube.

Ex-jogador Washington Coração Valente é o treinador do Vitória da Conquista (Foto: Luciana Flores / Vitória da Conquista)

O estadual baiano ainda conta com outros jogadores conhecidos nacionalmente: o goleiro Deola está no Fluminense de Feira; os meias Uelliton e Danilo Rios, com passagens pela dupla Ba-Vi, são reforços da Jacuipense; o atacante Robert, destaque há algumas temporadas e que chegou a passar pelo Vitória, está no Bahia de Feira; o Atlântico conta com o treinador Ricardo Silva, vicecampeão da Copa do Brasil pelo Vitória em 2010.

Ainda é cedo para afirmar que finalmente a terceira força do estado da Bahia irá aparecer neste ano, mas em comparação com temporadas anteriores, a chance agora é muito maior. Resta aguardar e torcer para que os planejamentos não se desfaçam, que derrotas não ocasionem em demissões apressadas de treinadores e que, mesmo com tantas dificuldades financeiras, os clubes consigam segurar seus destaques para chegar a competições nacionais e fazer bonito.

Heider Mota

Baiano, 21 anos, estudante de jornalismo e amante dos esportes. Twitter: @heiderzito

%d blogueiros gostam disto: