Como fazer futebol desse jeito?

É inegável que fazer futebol no Nordeste não é uma tarefa simples. Desde questões como o alcance midiático dos clubes do Sul/Sudeste, os patrocínios menos favoráveis, estádios vazios em partidas dos Campeonatos Estaduais justamente por conta dos jogos serem menos atrativos e até mesmo uma falta de interesse dos dirigentes em mudar o panorama. Todos esses fatores contribuem para que as dificuldades sejam ainda maiores.

Início de ano é marcado pelos Campeonatos Estaduais, a principal e única competição do ano para grande parte dos clubes brasileiros. A realidade não é diferente no Nordeste. Se considerarmos que apenas as duas principais divisões nacionais, apenas oito times nordestinos entre os 40 clubes. É pouco demais.

E ainda assim, a situação é extremamente desfavorável para os clubes “maiores”. A diferença das cotas de TV dos Estaduais é ABSURDA. De acordo com dados do blog de esportes do Diário de Pernambuco, escrito pelo jornalista Cassio Zirpoli, o Campeonato Paulista distribuirá 121 milhões de reais em cotas. Enquanto isso, o Campeonato Pernambucano, estadual “mais rico” do Nordeste, distribuirá 3,7 milhões. Deu para entender o tamanho do abismo?

Imagem: Diário do Pernambuco / Blog de Esportes

DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO

Novamente falando de Pernambuco, o trio Náutico, Sport e Santa Cruz ganhará R$ 950 mil de cotas de TV. Já as equipes menores do estado receberão apenas R$ 110 mil. Na Bahia, a dupla Ba-Vi ganha R$ 850 mil de cotas. Já os outros participantes da competição ganham R$ 113 mil. No Cearense, R$ 800 mil para Ceará e Fortaleza, enquanto as outras equipes recebem R$ 120 mil.

Colocando o Campeonato Paulista na conta, os clubes que recebem MENOR percentual de cotas de TV ganharão valores superiores a R$ 3 milhões. No Cariocão, times como Macaé e Resende, que recebem a “Cota 3”, ganharão R$ 800 mil. No Campeonato Gaúcho, a “Cota 3” também é aplicada e clubes como São Luiz, São José e Veranópolis receberão R$ 1 milhão.

LEIA TAMBÉM: O futebol do nordeste precisa mudar 

O pessoal do ótimo Podcast45 fez um levantamento com dados interessantíssimos que retratam essa diferença descomunal na distribuição das cotas de TV dos estaduais. Os QUATRO CLUBES NORDESTINOS NA SÉRIE A DO BRASILEIRÃO recebem menos de cotas de TV do que o Madureira, clube que disputará a primeira divisão carioca.

Imagem: Twitter / @Podcast45
Imagem: Twitter / @Podcast45
Imagem: Twitter / @Podcast45
Imagem: Twitter / @Podcast45

COPA DO NORDESTE É ALTERNATIVA?

A situação melhora UM POUCO com a disputa da Copa do Nordeste. Ao todo a competição distribuirá 23 milhões em cotas de TV. A equipe campeã desembolsará ao todo 3,5 milhões de reais. Ainda assim, número inferior a alguns dos clubes menores de estados como São Paulo e Rio de Janeiro. Apesar de ser um alento, ainda não é possível considerar o Nordestão como solução.

Fica o meu questionamento a vocês: como fazer futebol desse jeito? Se até mesmo esses clubes menores, que recebem cotas maiores, não conseguem grandes feitos, como os clubes do Nordeste vão conseguir algo a mais? É preciso repensar o futebol nordestino, na verdade, o futebol brasileiro mais do que urgentemente, pois uma hora a “bomba” vai explodir e são poucos os que sairão ilesos.

Heider Mota

Baiano, 21 anos, estudante de jornalismo e amante dos esportes. Twitter: @heiderzito

%d blogueiros gostam disto: