Futebol fora de mídia #15 – ONG leva futebol aos não filiados a FIFA

O ativista Paul Watson juntou a sua ONG “Outside the box” com a Confederação Independente de Associações de Futebol (Conifa) e formou a “Uncharted Football” (Futebol Inexeplorad0), uma nova organização que leva futebol para países não filiados a FIFA.

A genial ideia visa atingir cerca de 3 a 4 milhões de pessoas impedidas de jogar um futebol organizado. A ONG oferece equipamentos para treinadores das respectivas localidades poderem melhorar a qualidade do esporte por lá. As classificações são:

Parcialmente inexplorado:

Ilhas que têm ou tiveram associações próprias, foram introduzidas no futebol mas sobreviveram um curto período até cair nos esquecimento.

Explorado, mas desconectado:

Lugares em que o futebol é jogado regularmente e de maneira bem estruturada mas que não estão conectados ao mundo do futebol.

Completamente inexplorado:

Lugares onde o futebol não exerce um papel ativo e nunca foi organizado por uma associação. A maioria destes lugares se encontram na Oceania, em lugares com altas taxas de obesidade.

A ideia surgiu da vontade que Paul tinha de treinar a pior seleção do mundo. A primeira experiência rendeu um documentário do “The Soccerman”, chamado “Up Pohnpei: leading the ultimate football underdog to glory” (“Pra cima, Pohnpei: liderando a maior zebra do futebol para a glória”), que ainda não foi publicado.

Para conseguir fazer um bom trabalho e atrair as pessoas, Paul diz que o segredo é se adaptar às realidades locais e incentivar as pessoas a não terem medo de errar e serem o que fazem dela cidadãos de determinado lugar, cada um com suas características peculiares.

A ONG segue em busca de patrocinadores que ajudem-los a arcar com as viagens e equipamentos. Atualmente Paul e cia conta com voluntários que tiram a estadia do próprio bolso, o que o líder chama de “boa vontade”, característica principal daqueles que se interessam pelo trabalho.

Recentemente eles estiveram em Tokelau, um lugar em que toda a energia é solar, tem 1.500 habitantes e pertence a Nova Zelândia. Pra chegar lá fora 52 horas de viagem de Londres para Samoa, depois 24 horas de barco sem horários definidos e sem garantia de viajar sentado.

Neste mês, a Uncharted Football deve estar indo para a Ilha de Wallis, um lugar onde chove 260 dias por ano e a umidade relativa do ar chega a 80%.

A ONG é mais uma da série “não é só futebol”. Ideias como estas mudam o mundo e realidades, além de dar esperanças e deixar uma população mais ativa e saudável. Saiba mais sobre a Uncharted Football no site oficial. Quem sabe você não se torna um deles?

Leia o Futebol fora de mídia anterior: A Copa dos muçulmanos, dos nórdicos e da África Branca

Lucas Tinoco

21 anos, baiano e aspirante a jornalista esportivo. Fanático por esportes em geral, principalmente futebol. Adepto das ligas europeias e do futebol alternativo. Líder do Editorial de Futebol Internacional do HTE Sports.

%d blogueiros gostam disto: