OPINIÃO: a imprensa que superestima os clubes nordestinos

(Foto: Lucas Cezar)

Você, amigo leitor que vive na região Nordeste do país, alguma vez nos últimos anos deve ter se perguntando o porque do seu clube não conseguir chegar a ser campeão ou até mesmo a um G4 de Campeonato Brasileiro. Dói em nós saber que o eixo Rio-São Paulo é dominante até no futebol do país. Já não nos basta o sofrimento do nosso povo com tantos outros problemas, ainda temos que viver com desigualdade no esporte.

Para que não se deixe passar por despercebido, tivemos o grande título do Sport conquistado na Copa do Brasil, contra o favorito Corinthians, em 2008. O único porém que coloco aqui é pela conquista ter sido num torneio eliminatório, onde não é a regularidade que prevalece durante a competição, diferente dos pontos corridos, no qual é preciso se manter na liderança por muitas rodadas.

Grande parte desse desnível entre as regiões se dá por conta das imprensas regionais que, na maioria da vezes, superestimam as equipes do estado por terem conquistado um título estadual ou regional, e dali acharem que estão prontas para disputar uma competição a nível nacional. O resultado, porém, é o que vemos todos os anos: clubes se endividando e brigando para não cair de divisão.

Outro problema bem peculiar para nós se deve à falta de dinheiro nos caixas. Se nem as Federações ajudam, onde onde viria esse apoio? Da TV? Uma mídia conservadora que preserva os clubes da “meiuca” e se esquecem que no passado éramos nós, do Nordeste, quem levávamos e continuamos levando torcida para os estádios? Uma cota miserável nos campeonatos estaduais e nacionais, que não paga três meses de salários para os jogadores, e ainda querem que sejamos os palhaços do picadeiro. Olhem só aí, Diego Souza e Jean no São Paulo. Vieram com uma merreca e nós, por sofrermos financeiramente, tivemos que engolir goela abaixo para que nossos melhores jogadores fossem embora por qualquer proposta que viesse a aparecer.

LEIA TAMBÉM: Como fazer futebol desse jeito?

Confesso que torci muito no ano passado para que o Bahia conquistasse uma vaga na Libertadores. Seria um grande feito para a nossa região ter um representante numa competição continental de alto nível. Embora tenha deixado escapar a vaga na partida contra a Chapecoense, não tiro os méritos do ‘Esquadrão de Aço’ que encantou o povo brasileiro com um futebol bem jogado.

Embora haja vários problemas internos e externos no futebol nordestino, estou muito feliz pelo fato de que, em 2018, teremos quatro equipes representando a região no campeonato brasileiro (Bahia, Vitória, Sport e Ceará). Isso é gratificante demais! Para os próximos meses desgastantes será preciso mostrar pulso firme diante de situações como as citadas acima, e mostrar que não é o dinheiro que vai nos fazer tirar a alegria de um torcedor apaixonado.

Rafik Oliveira

Amante de várias modalidades esportivas, trago à tona diversos temas que abordam o cenário nacional, sempre com uma visão diferenciada para cada esporte.

%d blogueiros gostam disto: