Scrum: Apesar da luta, Brasil não vai à Copa do Mundo de Sevens

Após duas etapas bem disputadas, os Tupis não conseguiram as tão sonhadas vaga para o Hong Kong Sevens (etapa do circuito mundial que ocorre anualmente) e vaga para o mundial que ocorre a cada quatro anos, além da vaga como seleção convidada para duas etapas da Série Mundial de Sevens, em Las Vegas-EUA e Vancouver-CAN.

Pelo caminho, o Brasil tinha a dura missão de estar à frente de Uruguai, Paraguai, Colômbia e Chile, mas ao fim da primeira etapa em Punta del Este, os Tupis ficaram à frente de Paraguai e Colômbia somente, com Chile e Uruguai ainda sendo as pedras nos nossos sapatos. A injeção de ânimo veio da ótima vitória contra a Irlanda no primeiro dia, mas não foi o suficiente pra manter um bom nível de rugby durante toda a primeira etapa. Ainda houve confrontos com França e Estados Unidos, com uma derrota e uma vitória respectivamente.

No segundo dia em Punta, mais um revés contra a França, nos tirando das quartas-de-final e em seguida conseguindo mais um triunfo frente à Irlanda, o que nos credenciou para a disputa da taça de bronze contra a Alemanha, onde perdemos mais uma vez e ficamos com o 8º lugar da competição.

As forças estavam voltadas para a segunda e derradeira etapa da classificatória em Viña del Mar, no Chile e os Tupis estavam muito confiantes e o seu resultado em Punta diminuiu a lista de exigências: para que fôssemos classificados ao Hong Kong e à Copa do Mundo principal, tínhamos que terminar somente duas posições acima dos Teros uruguaios.

Em Viña começamos empatando com a Irlanda, nosso atual freguês, vencendo o Paraguai por um placar apertado, o que não nos ajudou no ranking geral e um empate contra a África do Sul. lembrando que Brasil, Colômbia, Chile, Paraguai e Uruguai, Alemanha e Irlanda levaram suas seleções principais, ao passo que EUA, África do Sul, França, Argentina e Canadá levaram suas seleções de desenvolvimento.

O segundo dia já começou com a pedrada à frente: Uruguai nas quartas-de-final e era vencer ou vencer. O que não ocorreu e os Tupis ficaram de fora de todas as competições, retornando somente no Sul-Americano, torneio que vale vaga para os jogos Pan-Americanos de 2019. Novamente ficamos em oitavo na classificação do torneio, perdendo para a Alemanha na semi e para o Chile na disputa de 7º.

Uruguai e África do Sul foram os campeões.

Mas como assim?

Os Teros terminaram em terceiro lugar, mas era o único Sul-Americano nestas disputas, consagrando-se campeão do torneio Sul-Americano de Sevens. A África do Sul chegou à final e venceu a França, levando o troféu da etapa.

Seguem os jogos do Brasil:

Punta del Este – PAR:

Brasil 20×26 França

Brasil 17×12 Uruguai

Brasil 29×05 Estados Unidos

Quartas-de-Final: Brasil 12×28 França

Semifinal Bronze: Brasil 17×12 Irlanda

Final Bronze: Brasil 12×24 Alemanha

Campeão da Etapa: África do Sul

Viña del Mar – CHI

Brasil 14×14 Irlanda

Brasil 29×21 Paraguai

Brasil 14×14 África do Sul

Quartas-de-final: Uruguai 14×07 Brasil

Semifinal pelo 5º lugar: Alemanha 14×07 Brasil

Decisão do 7º lugar: Brasil 12×26 Chile

Campeão da Etapa: África do Sul

Campeão Sul-Americano do torneio: Uruguai (3º lugar da etapa e único sul-americano entres os quatro finalistas)

 

Para os Tupis fica o aprendizado e a noção de trabalho constante. Se quisermos alcançar mais alto, vamos ter que continuar lutando e crescendo.

Vinícius Guedes

Administrador de Empresas pela UFRRJ, Segurança Privado, Árbitro de Rugby pela RioRefs, jogador pelo Itaguaí Rugby. Gosta de esportes, filmes, séries e muita música.

%d blogueiros gostam disto: