Backcourt NBA – Ty Lue é o único responsável pelo momento dos Cavs?

(Foto: ESPN.com)

Não sou um grande fã do treinador do Cleveland Cavaliers, Tyronne Lue. Considero bem limitado e com repertório raso, tanto ofensiva como defensivamente. Acho que com um treinador melhor, talvez a equipe de LeBron James teria temporadas mais “tranquilas” antes dos playoffs, talvez até brigando jogo a jogo com o Golden State Warriors pela melhor campanha da liga no geral e o direito de mandar quatro dos setes jogos de uma eventual final. Mas, no momento que temos a franquia de Ohio com 12 derrotas nos últimos 19 jogos e com o astro LeBron James chutando o balde na última derrota em casa, para o Houston Rockets, por 120 – 88, a pergunta que faço é: Será Ty Lue o único responsável pelo momento dos Cavs?

Na visão desse que vos escreve, não. Mesmo não considerando Lue um grande treinador, é preciso entender o contexto geral dos Cavs nessa temporada. A franquia perdeu o rumo quando Kyrie Irving pediu para ser trocado. E a troca até que acabou agradando em alguns aspectos, com a vinda de Jae Crowder e uma esperança de uma defesa mais qualificada, além do armador Isaiah Thomas, que poderia não deixar o ritmo ofensivo cair. Lue até pensou em fazer de Kevin Love seu pivô titular, espançando a quadra com arremessadores, para deixar o garrafão livre para as infiltrações de LeBron James que poderia finalizar a jogada ou encontrar um especialista de três pontos em liberdade. A ideia durou pouco e logo Tristan Thompson voltou ao quinteto titular.

Soma-se isso as lesões de Derrick Rose que deveria segurar as pontas enquanto Thomas se recuperava do problema no joelho que o tirou das finais de conferência na última temporada, o desempenho pífio de JR Smith, a latente queda de rendimento de Wade por conta da idade, e a inabilidade da equipe em manter Kevin Love se sentindo parte do plano de jogo, temos um cenário claro de um time que não estaria a ponto de bala na metade da temporada. Se não fosse o extraordinário LeBron James, que mais uma vez faz uma grande temporada e ganha jogos praticamente sozinho, a classificação para os playoffs estaria seriamente ameaçada. O camisa 23 é o principal responsável por manter a equipe ainda nas três primeiras posições do Leste e de ninguém tirar o Cavs do baralho para representar o Leste na decisão da NBA, mesmo com todos os problemas ofensivos e defensivos que ficaram claros nesse último jogo contra os Rockets.

Segundo Woj, Lue está “prestigiado” no cargo. Não acho que a demissão seria o melhor caminho agora para os Cavs. Segunda metade da temporada regular e com a franquia na mão do seu principal jogador para o futuro, uma vez que LBJ renova seu contrato ano a ano, o melhor caminho agora seria uma gestão melhor do elenco, cobrando mais atitude em quadra de jogadores como JR Smith, entender a queda de desempenho de Tristan Thompson e um trabalho defensivo melhor quando Isaiah Thomas estiver em quadra, já que é nítida a dificuldade dele de marcar armadores de estatura bem superior. Mesmo sem mando de quadra, o time de LeBron James não pode ser considerado como underdog, ou zebra, em qualquer série de playoff. Com alguns ajustes defensivos e ofensivos, os Cavs ainda são uma das equipes mais poderosas da NBA para se enfrentar. Essa semana, Cleveland enfrenta Magic, Wolves, Hawks e finaliza no domingo com um jogão contra os Celtics no TD Garden. É hora de parar de ter o traseiro chutado, segundo palavras do próprio LeBron James.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: