A cara da F1 2016

O carnaval passou e finalmente o ano começa para o povo brasileiro. E não é que para a F1 também? Amanhã começam os testes de pré-temporada e nos últimos dias, carros de 5 equipes diferentes foram apresentados. Alguns muito diferentes, outros nem tanto. Até carro um carro de uma equipe totalmente nova foi revelado.

A maior categoria do automobilismo mundial finalmente acorda de um longo inverno de hibernação. É hora de voltar a ouvir o rugidos dos motores turbo. Conheça os carros de Haas, McLaren, Williams, Ferrari e Mercedes para 2016!

Haas VF-16

Haas

O primeiro carro da história da Haas na F1 é demonstra que, apesar da parceria com a Ferrari, o time americano exerce sua independência até o limite. Com todo o powertrain fornecido pela fábrica de Maranello, o VF-16 (VF de “very first”) possui um kit aerodinâmico bem diferente do da equipe italiana. Isso mostra que a Haas possui gente que sabe (ou pelo menos pensa que sabe) o que está fazendo.

Com Romain Grosjean liderando a equipe, basta que as operações de pista do time sejam decentes para que tenham resultados minimamente aceitáveis.

McLaren MP4-31

McLaren

Esse, confesso que foi uma grande decepção. Imaginei que a McLaren fosse mudar bastante seu esquema de cores, até para tentar limpar da memória o ano bizarro que passou em 2015. Mas não. O time de Woking vem com um carro bem “cinzão”. Parece uma Hispânia (vocês lembram dela?).

O kit aerodinâmico do carro parece bem refinado (apesar de horroroso). A traseira é absurdamente compacta, assim como as entradas de ar laterais e a superior. O bico do carro possui um degrau bastante agressivo. Porém nada disso vai funcionar se não houver um motor forte o suficiente para empurrar essa parafernalha toda. O sucesso ou fracasso da McLaren em 2016 passar diretamente pelo desenvolvimento que a Honda conseguiu para a sua unidade de potência.

Oremos, pois uma equipe com uma história tão grande não merece o vexame que anda passando. Idem para seus (grandes) pilotos.

Williams FW38

FW38-FM

A Williams andou dizendo, desde meados da temporada passada, que o carro de 2016 apontava para uma direção muito diferente que o FW37. Mas o carro apresentado pelo time de Grove no último dia 19 frustrou quem esperava encontrar um desenho totalmente revolucionário.

O FW38 é, para quem olha o todo, um carro bem parecido com o FW37 utilizado pelo time ano passado. Mas será que é tanto assim? É sempre bom lembrar: no mundo da F1, alterações milimétricas podem significar um ganho de 0,2 segundos por volta. Isso pode ser a diferença entre ser o pole position ou o 5º colocado.

Encontrei alterações visíveis no assoalho do carro, na asa traseira e, principalmente, nas entradas de ar laterais do radiador. Elas estão bem menores. Isso pode significar uma alteração bastante sensível no comportamento aerodinâmico do carro. Lembrem-se que as Williams ultimamente têm tido carros muito rápidos de reta, porém lentos em circuitos travados. ou seja, careciam de pressão aerodinâmica.

Se o foco do desenvolvimento era atacar as falhas dos dois últimos anos, pode ser que o time de Sir Frank tenha encontrado um bom caminho.

Ferrari SF16-H

Ferrari

O novo carro da Ferrari para 2016 dá um soco no estômago de quem o vê pela primeira vez. A faixa branca em cima do cofre do motor dá um visual totalmente diferente para o monoposto. Há mais de 20 anos o time italiano não utiliza esse esquema de cores. Meu veredicto é: bonito DEMAIS. Como uma Ferrari tem que ser.

Mas o que vale mesmo para um carro de corrida é ser rápido. E isso os carros italianos têm sido desde o ano passado, apesar de não ser o suficiente para bater as Mercedes. Porém, a cúpula da Ferrari parece estar obcecada por um título, que não ganha desde 2008. Declarações de técnicos do time apontam um desenvolvimento agressivo do motor de 2016. Se o time conseguir extrair performance aerodinâmica do carro, pode ser que tenhamos, finalmente, um campeonato este ano.

Ah. Sebastian Vettel está no time. Ter o melhor piloto do grid (e só Kimi Raikkonen ao seu lado) deve ajudar.

Mercedes W07 Hybrid

F1_W07_Hybrid_02

A Mercedes apresentou para o mundo o W07, o novo (?) carro da equipe. Porém, o que se viu foi um monoposto muito, muito parecido com o seu antecessor.

Existem algumas linhas claramente diferentes, principalmente no cofre do motor e na sua entrada de ar. Porém, a asa dianteira, por exemplo, parece ser absolutamente idêntica à usada pelo time em 2015. Além disso, as linhas gerais do carro são praticamente idênticas às do W016.

Isso me faz pensar que o carro apresentado é bastante diferente do que a Mercedes pretende utilizar em Melbourne. Sou capaz de apostar que a asa dianteira que será usada nos últimos testes será bem diferente dessa que vimos.

A Mercedes era obviamente a equipe que possuía menor margem de desenvolvimento. Mas, caso os alemães tenham encontrado um ganho significativo (principalmente no motor), danou-se tudo. Veremos um novo passeio germânico.

%d blogueiros gostam disto: