As condições do deserto do Atacama

O Cobresal, time de El Salvador, do Chile, tem seu estádio no meio do deserto do Atacama. Além do Corinthians, Santa Fe e Cerro Porteño jogarão no local. Mas, o que realmente esses clubes vão enfrentar?

Falando do deserto de uma forma geral – não necessariamente do exato local do estádio – as condições são as piores possíveis para se jogar futebol. Altitude, umidade do ar e amplitude térmica darão aos jogos o “melhor estilo Libertadores”.

Altitude

O deserto do Atacama se encontra na cadeia de montanhas da Cordilheira dos Andes. O que significa que a sensação de falta de ar se faz presente. Acima de 1.200 metros, a falta de ar e a sensação de cansaço já se fazem presentes. No deserto, a altitude é de 2.240 metros, parecida com a de Bogotá e outros lugares conhecidos que fizeram a fama da Libertadores. Diante destas condições, o que menos sofrerá na fase de grupos será o Santa Fe, que já é acostumado (ou seja, os jogadores já têm o número suficiente de hemácias produzidas e atuantes para transportar e distribuir o oxigênio pelo corpo).

Umidade do ar

O deserto chileno é considerado um dos 10 locais mais secos do mundo. A umidade do ar, por vezes, chega a menos de 10%. A precipitação média do Atacama é de 35mm anuais (o que corresponderia à uma chuva fraca). É comprovado também que algumas localidades do deserto não recebem uma gota de chuva há 500 anos. Mesmo com a baixa umidade do ar, é diferente, por exemplo, de São Paulo numa época de inverno, em que não chove e é seco. Como não há uma dispersão de gases poluentes significativas, as mucosas (nariz e boca) não ficam ressecadas e os jogadores não irão respirar partículas nocivas à saúde. O que ocorre naturalmente é que, como não há muitas gotículas de água no ar, o ambiente “rouba” a umidade do corpo, a pele fica ressecada e é preciso beber mais líquido. O que, somado com a altitude, será uma barreira para os jogadores.
Curiosidade: devido à baixa umidade do ar, a altura em relação ao nível do mar e à pouca poluição, o deserto do Atacama tem um céu claro e sem fatores que possam atrapalhar a visão. Tudo isso forma um “pacote” perfeito para estudos astronômicos, e, por isso, há bases da NASA ali.

Amplitude Térmica

Lembram-se da aula de física em que o professor falou sobre calor específico? Então, é isso com que faz que o deserto tenha uma característica especial: uma alta amplitude térmica. Primeiramente, amplitude térmica é a diferença de temperatura do dia para a noite. Há desertos em que de dia faz 50ºC, e de noite -2ºC. Isso ocorre porque o calor específico da areia, muito abundante nessas regiões, é muito baixo. Ou seja, ganha e perde calor muito fácil e rápido. A noite, obviamente, a temperatura naturalmente cai, e a areia perde calor, fazendo com que as temperaturas cheguem à abaixo de zero.
O Atacama, porém, é diferente dos outros desertos. Conhecido como um deserto “frio” (até por conta da altitude dos Andes), nessa época de verão, o dia chega aos 30ºC (convenhamos, menos calor que a maior parte do Brasil na mesma época) e chega aos 10ºC a noite, próximo ao horário em que serão disputados os jogos.

Jogar num lugar exótico como um deserto é difícil, mas obviamente o humano é adaptável. Não é o melhor lugar do Mundo, mas não é de se temer.

Thiago Cunha Martins

Paulistano, alvinegro, co-fundador e Diretor-geral do HTE Sports. Jornalismo por paixão, Psicologia por vocação. Adorador do futebol e tudo o que o rodeia. Fã curioso da NFL, UFC e eventual seguidor de outros esportes

%d blogueiros gostam disto: