Vem de 5: Grandes confrontos entre Brasil x Argentina

No próximo dia 10 de novembro teremos mais uma edição de uma das maiores rivalidades do futebol internacional, quando o Mineirão receber a jogo válido pelas Eliminatórias da Copa de 2018 entre Brasil e Argentina. Será, segundo dados da CBF, o jogo de número 102 na história. Rivalidade que começou em 20 de setembro de 1914, curiosamente o primeiro jogo da seleção brasileira, mas que os argentinos levaram a melhor e ganharam por 3 a 0. Ainda de acordo com dados da CBF, de lá para cá são 39 vitórias brasileiras, 36 argentinas e 26 empates. Curiosamente, o mesmo número de gols para cada seleção no confronto, 159. Vamos aqui então relembrar cinco jogos históricos desse grande clássico.

Batalha de Rosário
Copa de 1978, na Argentina. A fase semi-final era disputada em triangular e os donos da casa tinham no grupo o Brasil e o Peru. Em jogo disputado em Rosário, brasileiros e argentinos fizeram jus ao que hoje se intitula “jogo de Libertadores”. Muito pegado, com alguns lances até violentos, uma verdadeira guerra em campo. Muita disposição, raça e qualidade dos dois lados, mas que não foram suficientes para tirar o 0 do placar. Típico empate sem gols melhor que muito jogo 3×2 por aí. O Brasil ficaria fora da final pelo saldo de gols nos confrontos contra o Peru (vitória de 4×0 do Brasil e 6×0 da Argentina sobre os peruanos que causam polêmica até hoje) e os hermanos partiram para o título diante da Holanda.

Show na Espanha
Em 1982, a Copa do Mundo terminaria para o Brasil no Desastre do Sarriá, famosa derrota da memorável equipe de Telê Santana para a Itália. Mas, alguns dias antes, o Brasil fez um grande jogo contra a Argentina, encantando o mundo. Zico, Sócrates, Júnior, Éder, Falcão, Cerezo e Serginho Chulapa bailaram para cima dos hermanos, comandando uma vitória maiúscula por 3 x 1, fora o baile. Essa exibição credenciava a seleção daquela Copa como uma das maiores da história do futebol, mesmo sem terminar com o título mundial.

Maradona decide
A Copa de 1990 não reserva grandes recordações para muita gente pelo excesso de jogos chatos disputados nos gramados italianos. Brasil e Argentina fizeram uma primeira fase sofrível, mas chegaram as oitavas-de-final para seu quarto encontro em Copas do Mundo. Lazaroni comandava o Brasil que pela primeira vez utilizava o esquema de três zagueiros. E o Brasil fez o melhor jogo daquela Copa justamente contra a Argentina, chutando bolas na trave e pressionando a seleção albiceleste. Mas, num lance de pura genialidade de Maradona que escapou de Dunga, passou por Alemão no meio campo e deu um passe milimétrico para Cannigia deixar Taffarel sentado e marcar o gol da vitória. Brasil eliminado e a seleção argentina somente seria parada na final daquela Copa, para a Alemanha (com um pênalti bem mandrake na final, diga-se).

3 vezes Rivaldo
Sim, esse jogo foi apenas um amistoso. Mas talvez tenha sido uma das maiores atuações individuais de um jogador brasileiro contra a Argentina. Alguns dias antes, o Brasil comandado por Wanderley Luxemburgo perdeu por 3×1 em amistoso disputado em Buenos Aires. Com um Beira-Rio lotado, a Rivaldo e Ronaldo jogaram muito e deram um show nos hermanos. O meia marcou três vezes e Ronaldo fechou o placar num golaço.

Final da Copa América 2004
A Argentina já estava há 11 anos no jejum de títulos que perdura até hoje e foi para essa edição da Copa América com seus principais jogadores da época, ao contrário do Brasil que não levou Ronaldo, Kaká e Ronaldinho Gaúcho, principais referencias que estariam em campo na Copa do Mundo dois anos depois, na Alemanha. Na final, Kily Gonzales e Luisão colocaram o placar em 1 x 1 no primeiro tempo. Aos 42 do segundo tempo, César Delgado colocou a Argentina em vantagem. Galvão Bueno então passou cinco minutos justificando a perda do título pelos desfalques. Até que, aos 48, a bola sobrou na área e Adriano, o Imperador, fuzilou para levar a decisão para os pênaltis, onde Julio César foi decisivo para mais um título da seleção canarinho.

Bônus – O jogo que não aconteceu
Há alguns anos, a operadora de telefonia Vivo fez um comercial pela internet simplesmente sensacional. Com Pelé fazendo a introdução dizendo que “se meu último gol na carreira fosse pela seleção, eu gostaria” a película criava um fictício jogo entre Brasil e Argentina no Morumbi, com o maior de todos os tempos já na casa dos 70 anos. Casa cheia, Pelé perdendo alguns gols na primeira etapa e os argentinos batendo muito. E no segundo tempo viria o gol, do meio da rua, tal qual teria sido no famoso lance da Copa de 1970. Esse jogo não ocorreu, mas o vídeo é tão fantástico que merecia ter acontecido.

Marcelo Tadeu Parpinelli

Um cara que gosta de opinar sobre tudo, principalmente daquilo que não conhece e não entende. Aspirante a filósofo nas horas vagas.

%d blogueiros gostam disto: