Existe solução para os estádios “elefantes-brancos” no Brasil?

Antes do início da Copa do Mundo de 2014 um dos assuntos mais comentados era o “Legado” que a competição deixaria, mudanças no país, arenas reformadas, infraestrutura avançada, o que sobrou? Nenhuma mudança no país, arenas abandonadas e a mesma infraestrutura precária do período anterior ao Mundial. O principal problema que realmente se mantem é a pouca utilização de estádios que custaram centenas de milhões (por vezes até bilhões), porém, existe uma real solução ou o planejamento errado pré-Copa é irreversível?

Estádios como o Mané Garrincha em Brasília que custou cerca de U$ 830 milhões, segundo dados oficiais, vive apenas de jogos periódicos envolvendo clubes do Rio de Janeiro e São Paulo e dificilmente irá gerar um grande lucro nos próximos anos. Para esse caso tenho uma tese interessante, precisa utilizar o estádio, correto? Está localizado na capital do país, correto? Então, coloque as finais de copas e possíveis supercopas no estádio, com público dividido 50/50, mais ou menos como acontece com o Estádio Wembley na Inglaterra.

Arena Amazônia sofre com a falta de jogos

Outro exemplo que talvez seja ainda mais complicado é a Arena Amazônia em Manaus que custou por volta de U$ 350 milhões e recebe apenas jogos de clubes de pouca expressão com públicos baixíssimos e por vezes um grande do centro do país resolve levar o mando para a Arena em decorrência de problemas envolvendo seu estádio sede. Isso é extremamente complicado, por que aqui não tem uma grande solução e isso ocorre em decorrência da falta de planejamento antes da construção do estádio, temos um caso onde claramente tornou-se um “elefante-branco”, pois, não existe uma solução emergencial para o assunto.

Arena Pantanal é outro exemplo

Na atual conjectura do futebol brasileiro esses estádios estão completamente abandonados, sofrendo com problemas para manter a sua estrutura, sem equipes que jogam frequentemente nas localidades, sem manutenção, isso sem contar no prejuízo enorme que tais arenas geram.

Assim como os dois exemplos apresentados, temos mais alguns estádios construídos para a Copa do Mundo que vivem a mesma situação, como a Arena Pantanal em Cuiabá, sobra para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) buscar soluções para um problema que ela ajudou a criar, grupos de investidores que injetam dinheiro nas Arenas e as utilizam para outros eventos que não seja o da bola redonda é a solução mais provável no atual momento, infelizmente, o principal legado da Copa são estádios abandonados e que atualmente são simplesmente um problema. Jogos de clubes do centro do país a cada dois meses ou jogos da seleção brasileira a cada 2 anos não é a solução, nem perto de resolver todos os problemas.

Leonardo Pereira

Estudante de jornalismo e criador de teses sem noção nos momentos vagos. Twitter: @isentoever

%d blogueiros gostam disto: