Futebol Fora de Mídia – Os nórdicos na Liga dos Campeões

Por: Lucas Tinôco (Twitter: @lucastinocof)

A história dos nórdicos na Liga dos Campeões não é assim tão boa. Apesar de termos nos habituado a alguns nomes, são poucos os que conseguiram ao menos chegar à fase de grupos da maior competição entre clubes no planeta.

Malmö, Gotemburgo, HJK, Rosenborg, Molde, Midtjylland e Copenhagen são nomes tradicionais, principalmente pra quem acompanha a UCL desde as fases eliminatórias. O problema é que alguns desses só são mais conhecidos apenas pelo fato de sempre estarem nos playoffs, nunca além dele. Nos últimos anos, os azuis suecos e o time da cidade dos chocolates gostosos foram quem mais chegaram ao sorteio dos grupos. Há algum tempo, o Resenborg também conseguiu algumas vezes.

As equipes nórdicas são sempre bem montadas e, em sua maioria, jogam com raça até o último minuto. O grande problema é um reflexo da má fase de suas seleções. Ultimamente nem Suécia ou Dinamarca têm tido campanhas importantes em alguma competição, o que aparentemente está mudando. Os países têm coeficientes baixos e nunca entram nem na fase de playoffs diretamente. Sempre têm que passar por 2, 3 eliminatórias. Fora isso a disparidade financeira em relação aos grandes centros europeus é absurda. Malmö e Copenhagen são clubes com boas gestões, bons patrocínios, boas condições de base… mas isso na Escandinávia. Jogando esses times na Espanha, Inglaterra, Itália ou França, e até países menores, a diferença em alguns casos é realmente gritante.

Pavlovic marcou os 3 na vitória do Copenhagen sobre o Zilina

Na temporada 2017/18, 5 clubes estão na SEGUNDA fase eliminatória, precisando passar pela terceira e playoffs para irem à fase de grupos. Malmö (Suécia), IFK Mariehamn (Finlândia), Copenhagen (Dinamarca), Rosenborg (Noruega) e Hafnarfjordur (Islândia) são as equipes representantes da região setentrional. Nos jogos de ida, a sueca empatou com o Vardar (Macedônia) por 1-1; a finlandesa perdeu em casa por 0-3 para o Legia Varsóvia (Polônia); a dinamarquesa venceu fora de casa o Zilina (Eslováquia) por 1-3; a norueguesa empatou em 1 a 1 fora de casa contra o Dundalk (Irlanda); por fim, a islandesa empatou em 1 a 1 dentro de casa contra o Vikingur (Ilhas Faroé).

Vale ressaltar que, na temporada passada, apenas duas das cinco equipes nórdicas passaram da segunda fase: Copenhagen e Rosenborg. O time dinamarquês foi o único que conseguiu chega à fase de grupos. Em 2015/16, quatro das cinco passaram e apenas o Malmö foi para a fase de grupos. Em 2014/15, duas de quatro passaram e novamente os suecos foram até os grupos. Em 2013/14, três de quatro passaram e nenhuma chegou à fase de grupos, com exceção do Copenhagen que foi direto.

Na temporada atual, as cinco equipes irão precisar do espírito viking para chegar longe. Algumas, como no caso do Mariehamn já precisam reverter um placar difícil. O Malmö das últimas vezes que chegou à fase de grupos entendeu esse espírito e reverteu placares difíceis contra Salzburg e Celtic. No caso do atual campeão e líder do campeonato sueco, a próxima fase pode lhe reservar um duelo contra o Copenhagen, ou seja, aí já será um nórdico a menos. A propósito, a última vez que dois times do norte europeu chegaram à fase de grupos foi na temporada 2000/01, com Rosenborg e Helsingborg (Suécia), que acabaram ficando no mesmo grupo (o F) e foram eliminados dali mesmo, o Rosenborg em 3º com 7 pts e o Helsingborg em 4º com 5 pontos. A propósito, os outros dois do grupo foram nada mais, nada menos que Bayern de Munique, que se sagrou campeão daquela edição, e o PSG.

Grupos difíceis inclusive têm sido outro dos problemas. Das duas últimas vezes que o Malmö esteve em grupos, caiu com Real Madrid (campeão da edição), PSG (quartas de final) e Shakhtar em 2015/16 e Atlético de Madrid (quartas de fina), Juventus (vice-campeã da edição) e Olympiacos em 2014/15.

Trevor Francis marca o gol do título da Copa dos Campeões 1979

Superando barreiras e com uma dose de sorte para sair em um grupo um poucos mais equilibrado, os nórdicos poderão quem sabe passar da fase de grupo, talvez e chegar ao mata-mata. Os únicos com feitos mais impressionantes foram o Gotemburgo, duas vezes terceiro colocado da Liga dos Campeões (1985/86 e 1992/93), e o Malmö, vice-campeão em 1978/79 em uma das finais mais surpreendentes da história da competição contra o Nottingham Forrest.

 

Lucas Tinoco

21 anos, baiano e aspirante a jornalista esportivo. Fanático por esportes em geral, principalmente futebol. Adepto das ligas europeias e do futebol alternativo. Líder do Editorial de Futebol Internacional do HTE Sports.

%d blogueiros gostam disto: